ELETROQUIMIOTERAPIA

A eletroquimioterapia é um tratamento inovador que consiste na monitoração localizada das proliferações celulares tumorais. Os princípios que cercam a eletroquimioterapia são basicamente dois:

• Um deles é o mesmo princípio da quimioterapia tradicional, onde um agente contra o câncer é administrado no paciente, e através dessa administração, disponibilizaremos no local onde a neoplasia se encontra a droga anticâncer. Essa via de administração pode ser tanto intratumoral quanto intravenosa, onde temos que assumir como critério principal a disponibilidade do agente para todas as células do câncer que temos como objetivo tratar.

• O outro princípio é o fenômeno da eletropermeabilização (também chamado de eletroporação), onde se observa o aumento da permeabilidade das células submetidas a um campo elétrico específico. A técnica então promoverá, através do aumento da permeabilidade de membrana, a entrada otimizada do agente contra o câncer. Esta entrada facilitada do agente potencializará sua ação em até milhares de vezes.

A terapia se distingue pela baixa incidência de efeitos colaterais, por não ocasionar mutilações na maior parte dos pacientes, e pela constante eficácia, mesmo nos casos em que é necessário repetir o procedimento.

INDICAÇÕES

É um tratamento utilizado com mais frequência em tumores que acometem a pele e subcutâneo, porém o princípio básico da técnica, a eletropermeabilização, respalda sua ampla utilização. As aplicações mais recentes incluem o tratamento de neoplasias em tubo digestivo, em cavidades e em ossos.

Algumas das Principais Vantagens

Cada procedimento terapêutico dura somente alguns minutos. Assim, apenas uma pequena dose de anestésico é aplicada, e o animal precisa de poucos cuidados após a administração do tratamento.

Além disso, como as substâncias quimioterápicas agem particularmente em regiões tópicas, nas quais se concentram os tumores mais significativos, a incidência de elementos nocivos se restringe às células neoplásicas, preservando as concentrações celulares sadias.

Fontes:

http://www.infoescola.com

http://www.eletroquimioterapia.com.br

http://www.vetcancer.com.br

eletroquimio